Diferenças: Parte 2 (Ela)

Nossas “verdades” não se encontravam, na verdade elas eram uma barreira entre nossos corações, mesmo que os nossos olhos nos levassem ao mundo um do outro ao se cruzarem, nosso amor nunca foi próximo de verdade, é isso que eu não consigo compreender… eu sempre fui de emoções a flor da pele e até hoje ninguém me fez sentir, ninguém me fez viver tudo que eu tive contigo; os momentos de carinhos, nossos beijos sorrindo, eu sempre amei passear as minhas mãos pela tua pele e ver o encanto do teu sorriso.

Se eu fosse religião, você seria a ciência,

Se eu fosse amor, você seria indiferença,

Eu era perdão, você era sentença.

Sentença da qual eu não pude escapar, a qual eu não consiguia resistir todas as vezes que sua msg fazia meu celular vibrar e aquela alegria boba me fazia viajar. Eu te dei permissão para entrar no meu mundo e descobri um pouco do teu. Eu te falava do meu sertanejo, você vinha com teus rocks, eu te olhava e dizia que curtia Anitta, você falava que preferia Marisa Monte, mas nunca reclamou quando ao som do batidão para você eu dançava, te fiz ouvir Exaltasamba e ficar agarrado comigo certa vez ao som de Jorge e Matheus, ainda lembro da tua respiração ofegante cansado depois de nos amarmos, nossos momentos foram tão belos e tão raros e eu amei aquela música que você me dedicou, Ainda é cedo, Legião Urbana, eu me despia para ti e também te descobria na medida de quem se ama.

Opiniões diferentes, azar ou sorte? A dúvida me torturava, éramos tão íntimos e em comum não tinhamos nada, você até poderia ser Eduardo, mas eu nunca iria querer me chamar Mônica e isso me assustava, me atormentava porque eu te amava, porque eu tinha necessidade de ti, porque por alguma razão precisava de notícias tuas, estivesse bem ou não, eu precisava da tua atenção; percebi que te amar iria me destruir, que eu precisava me afastar de ti, provar outra vez da minha liberdade, viver outra vez a minha vontade, eu te amava e precisava te deixar ir, para não me partir, para não me ferir.

E eu não consigo conter, as lágrimas pelo rosto qe estão a escorrer, para, para! Não me pergunta porque acabar assim, não tenho resposta para te dar, não quero tuas razões para ficar, te amar me machuca e não quero viver dores consoladas apenas por me sentir amada, quando na verdade sei que nada disso é um tipo de lei no mundo das emoções, não são correntes para se aprisionar corações.

Não quero tuas razões,

Eu sempre fui intensa e cheia de emoções e não aceito nada menos ao meu lado.Se não podes lidar com isso… não irei te aprisionar ao passado…

Apenas um Escritor – 12/02/2018

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s