Diferenças: Parte 1 (Ele)

Diferenças: Parte 1 (Ele)
“Nada em comum” era o que nos definia naquele momento, aquele momento em que eu olhava em seus olhos enquanto as lágrimas escorriam pelo seu rosto e seus lábios proferiam a palavra “adeus”. Eu não culpo você, porque também tive participação nessas palavras, mas o aperto em meu peito me dizia que mesmo doendo era melhor assim; o que me surpreende é que no início nossas diferenças não eram um empecilho, pelo contrário, amávamos mergulhar na imensidão um do outro e descobrir aquele mundo de possibilidades que estava bem a nossa frente, porém o desgaste das nossas palavras e os empenhos em atitudes vazias de sentimentos, foram a causa dessa distância entre dois corações tão próximos um do outro.
Eu lembro do teu sorriso de menina que me alegrava só de pensar em te ver, teus olhos que me olhavam com encanto, tuas mãos que passeavam pela minha pele, teus beijos que me devoravam com ferocidade e algumas vezes com carinho, suaves, com sabor de morangos em uma tarde de verão, eram os melhores. E não éramos apenas essa “carnalidade” toda, sempre tem mais, sempre queremos mais, creio que foi esse mais que nos separou, talvez nem tenha sido, talvez apenas não “fosse para ser”, mas duvido dessas crenças populares, você sabe que eu preferi fazer meu próprio destino; foi despindo minha alma que aos poucos eu vi você sumindo, como o Sol que se põe no horizonte e deixa a todos nós em escuridão.
O que antes nos unia, agora nos afastava, não era falta de interesse, não era cansaço, não era o desejo apagado das nossas paixões, eram nossas opiniões e não sabíamos como lidar com elas, você me chamava de cético, verdade, nunca acreditei em contos de fadas e ainda assim vivi contigo momentos da mais bela história de amor, minha fada, minha flor; estou tentando compreender porque você está tão longe, quando já fomos tão próximos é difícil encarar que o outro pode sem nós caminhar.
De lembrança do seu sorriso tenho como abrigo aquele teu livro que você me emprestou, está na cabeceira da cama, onde sempre ficávamos abraçados conversando, nos amando. Ele é um pedaço que guardarei sem lamentos, que manterei sem pudor, pois nosso amor, vai além dessa dor…

Apenas um Escritor – 12/02/2018

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s