O que é a vida afinal?

O que é a vida afinal? O que é estar vivo de fato?

Eu me flagrei pensando nisso, enquanto observava as fortes gotas de chuva a cair sobre o parapeito do apartamento. A ciência e a religião apenas especularam, mas nunca de fato definiram o que é a vida. O que nos faz ver? Querer? Sentir? Amar? Desejar e perecer? Ter a consciência sobre o infinito mistério que está enraizado em todos nós? Eu queria uma resposta mais clara do que apenas um parecer filosófico (Cogito Ergo Sum). Cada gota de chuva que cai me faz pensar que é exatamente isso que somos uma gota de uma imensidão infinita sem uma resposta exata. Igual às gotas nós caímos, nos juntamos a correnteza e seguimos com a multidão. Será que nenhuma gota nunca pensou em tentar ir contra a correnteza? Talvez ela tenha percebido que a correnteza era forte demais. Mas onde essa partícula de agua cai, ela traz vida, para o solo seco daqueles sedentos por amor, onde germinaram e cresceram verdes pastos, arvore frutíferas, lagos, riachos, rios, correntezas onde a vida marinha nada e os animais com sede podem se saciar. Então me questiono novamente, após um copo de café forte e um suspiro profundo: O que é vida? As nuvens carregadas impediam a vista das estrelas no céu, mas eu sabia que elas estavam lá, brilhando, resplandecendo no vácuo infinito do universo, onde bilhões, trilhões de estrelas e astros estão a existir e fenômenos incríveis estão a ocorrer, a vida é mesmo assim sabia? Às vezes estamos parados em um ponto de ônibus em um dia de chuva e sempre passa um carro nos jogando uma rajada de agua, este fenômeno é a vida. Como o sol que irradia nossas manhãs, observe teu quarto, como a luz entra preenchendo o cômodo obscuro pouco a pouco e este vai se iluminando, se enchendo, isto é vida e ainda assim não sei como explicá-la. Alguns dizem que a vida é um jogo, uma arte, uma música, um texto, um bem material, um sentimento pessoal, uma razão, uma fé, uma evidência, um mito, uma tradição passada de geração a geração, mas a vida é uma formiga que trabalha aos domingos pela manhã, enquanto estamos dormindo. O homem não sabe o que é vida (O que fica implícito nesse texto perdido). Não sabe o que é viver, sabe apenas que está aqui, sem saber o porquê, sem saber para que. Busca apenas respostas que condizem com aquilo que acredita, ou julga acreditar, perdendo a vida. Se a vida fosse um texto, qual seria seu preferido? Crônica? Poesia? Soneto? Uma redação talvez? Se fosse música qual se achegaria mais aos seus ouvidos? Rock? Jazz? Samba? As doces melodias de um violino ou toques suaves de um piano? Perdemos o que é vida, o que é o viver, por limitar e defini-los em conceitos tão rasos quanto uma vala de rio. Eu não sei o que é a vida, porém afirmo que é preciosa e sobre viver sei menos ainda, possivelmente porque não há o que saber, há apenas o que fazer e muitos de nós nem sabem como fazer, ou de que maneira deve ser feito. Eu encontrei minha inspiração para viver a três anos atrás na escrita. Estava em num bar com meus amigos, conheci uma mulher linda, elegante, cheirosa, tivemos uma noite de fenômenos e nunca mais nos vimos. Escrevi sobre ela no intuito de imortalizar sua presença na minha vida, mesmo que não estivesses ali. Passei a escrever diariamente, a pensar, a sentir, porque transmitir em palavras o que sentimos e pensamos é difícil, foi um desafio, mas estes versos me mantiveram firmes em meu propósito, se a escrita não existisse, eu a inventaria e inventaria também aquela mulher para outra noite deslumbrante que criou significado em mim. E o que te inspira? E o que tu fazes para viver? Questionei-me isso muitas vezes sem obter respostas, porém quando sinto o vento tocar em meu rosto com sua brisa suave, me sinto agradecido por poder usufruir deste momento. Quando o sol mesmo queimando toca minha pele, tenho certeza que vale a pena existir mesmo sem saber o que é vida, mesmo que não compreendesse a vida e seus signos misteriosos. Olhe a sua volta, o ambiente, os animais, a luz, as pessoas, a natureza, olhe em volta, observem os fenômenos incríveis a sua volta, olha as pessoas, as cidades, os campos, acompanhe todo movimento singular que unido aos demais fazem um único. Isto meu caro chama-se vida, se estás no meio disso…. Então vives.

Apenas um Escritor– 16/04/17 – 23:58

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s